O que mudou nos pneus Pirelli de Fórmula 1?

Dia 19, teve inicio o novo ano da era da Pirelli na Fórmula 1 e, como tem sido habitual nas ultimas edições, a gama dos compostos foi renovada.

Por isso, a questão é lógica: o que podemos esperar dos pneus que vão estrear esta semana nos treinos de pré-época em Barcelona?

Nos Grandes Prémios de 2019, apenas vamos ver três cores nos flancos dos pneus slicks P Zero: branco - composto mais duro do fim de semana; amarelo - composto médio; vermelho - composto mais macio.

No total, para esta época, vão existir cinco tipos que serão distinguidos por um número que oscila entre 1 (mais duro) e 5 (mais macio).

Todos eles estarão à disposição das equipas nos testes de Barcelona ao longo desta semana. Para os distinguir, as cores habituais foram eliminadas na opção de composto mais duro (C1) e mais macio (C5).

Os C2, C3 e C4 estarão pintados de branco, amarelo e vermelho, respetivamente. Esta distinção só será realizada ao longo destes testes, já que nas corridas apenas vão existir três opções para piso seco.

Para além destas cinco opções, a Pirelli acrescenta pneus protótipo destinados a testar soluções para o futuro, sem qualquer marcação no flanco.

Estes irão fazer a sua estreia nos testes de pneus de 2020, durante um programa ao longo do ano, atualmente em desenvolvimento, em que participam todas as equipas.

Um dos objetivos para este ano é a redução da temperatura máxima a 80ºC nas mantas térmicas das rodas traseiras, enquanto as dianteiras mantêm os 100º atuais.

Isto ajuda o aquecimento dos pneus anteriores, além de reduzir o risco de "graining", especialmente nos casos de temperatura ambiente baixa. Este facto contribuiu para a redução das pressões a frio.

Na época passada, estrearam-se as novas carcaças, mais estreitas, nos circuitos com um novo asfalto. Este novo desenho procurou prevenir o sobreaquecimento, um objetivo contrastado ao finalizar os Grandes prémios.

A gama Pirelli renova por completo a opção do composto intermédio, agora com capacidade de cobrir uma amplitude maior de condições face à versão anterior.

Com isto, o ponto de "crossover" é mais efetivo referente ao composto de seco. O "Full Wet" ainda dispõe de uma prestação melhor sobre o piso molhado.

Os pneus de chuva foram totalmente renovados, com um perfil redesenhado, que permite, agora, uma grande resistência ao aquaplaning e melhor manobralidade em caso de chuva extrema.

No ano pasado, foram homologadas duas gamas de pneus "Full Wet" e intermédios. Uma para temperaturas elevadas, outra para dias mais frios.

Em 2019, ambas as opções foram redesenhadas para aumentar a sua versatilidade, de modo que apenas existirá um único composto de água e outro intermédio para toda a época.

Também pode gostar de ler