ACAP promove segurança dos pneus do veículo

A ACAP – Associação Automóvel de Portugal, através da Comissão Especializada de Produtores de Pneus (CEPP), seus associados, reeditam a campanha de sensibilização pública dirigida aos condutores, “PNEUS? MUITO MAIS DO QUE UM ACESSÓRIO, A SUA SEGURANÇA”.

Esta campanha, tal como todas promovidas pela ACAP/CEPP, tem como preocupação fundamental a promoção da segurança, a eficiência económica e ambiental do transporte rodoviário.

Os condutores são tentados a reduzir os gastos com a manutenção do veículo. Os pneus são um dos elementos mais penalizados. O condutor atrasa a sua substituição ao optar, por vezes, por pneus usados, não controlados, colocando em causa a sua segurança.

É neste enquadramento que a ACAP/CEPP lança uma campanha de informação e de sensibilização ao condutor, através de diversas iniciativas, tais como verificação da pressão, profundidade do estado do pneu, entrega de folhetos informativos e oferta de manómetros de pressão.

Estas acções terão lugar nas saídas das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, no mês de outubro, respetivamente dias 09 (Lisboa) e 16 (Porto).

Lisboa (9/10): das 9h00 às 12h00 – Ponte Vasco da Gama (Sentido sul/norte); das 14h00 às 17h00: Alverca - à saída da Portagem (sentido norte/sul);

Porto (16/10): das 9h00 às 12h00 – Praça do Império; das 14h00 às 17h00: Rotunda da Anémona.

À campanha promovida pela ACAP/CEPP, associam-se, ainda, a Valorpneu, a Quercus, a ANSR - Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, o IMT – Instituto da Mobilidade e dos Transportes, a PSP – Polícia de Segurança Pública e a GNR – Guarda Nacional Republicana.

Na edição anterior desta campanha, os resultados obtidos do check-up realizado a cerca de 900 viaturas foram muito preocupantes:

- Em 32%, o estado dos pneus foi considerado muito perigoso para a circulação rodoviária, necessitando da intervenção urgente de um especialista;

- Quase metade, 48%, dos pneus analisados não tinham a pressão correta;

- No que se refere ao desgaste dos pneus (grau, uniformidade e profundidade do desenho da banda de rodagem), 35% dos pneus analisados não estavam em conformidade e 23% estavam mesmo em mau estado.

Arrow
Arrow
Full screenExit full screen
ArrowArrow
Slider