Michelin anuncia joint venture com a Faurecia

A Michelin, líder mundial em pneus e mobilidade sustentável, e a Faurecia, líder tecnológico na indústria automóvel, formalizaram a criação da Symbio, originando a Faurecia Michelin Hydrogen Company.

A nova joint venture reunirá todas as atividades dedicadas à tecnologia da pilha de combustível, com o objetivo de tornar-se num líder mundial na mobilidade baseada no hidrogénio.

Construída em torno de um ecossistema único, esta desenvolverá, produzirá e comercializará sistemas de pilha de combustível de hidrogénio para veículos de turismo, veículos comerciais e camiões, além de aplicações para outras áreas da mobilidade elétrica.

A complementaridade de Michelin e Faurecia permite propor uma completa gama de sistemas de pilhas de combustível de hidrogénio para cobrir todos os tipos de mobilidade.

A Faurecia contribuirá com a sua experiência tecnológica em mobilidade baseada no hidrogénio e com os resultados obtidos com os seus trabalhos de I+D realizados em colaboração com a Comissão Francesa de Energias Alternativas e Energia Atómica (CEA).

Por sua vez, a Michelin contribuirá com os conhecimentos da sua subsidiária Symbio, fornecedor de sistemas de pilhas de combustível de hidrogénio, assim como com a sua completa gama de serviços e atividades de design e produção.

Michelin e Faurecia investirão, inicialmente, 140 milhões de euros nesta nova empresa, com o objetivo de desenvolver pilhas de combustível de nova geração, iniciar a produção em série e impulsionar o negócio na Europa, na China e nos EUA.

Com a Symbio, a Faurecia Michelin Hydrogen Company pretende alcançar 25% de quota de mercado e uma faturação de cerca de 1.500 milhões de euros em 2030.

Numa fase inicial, a joint venture contará com três unidades industriais, que abastecerão os principais mercados automóvel do mundo: Europa, Ásia e EUA.

Espera-se que a procura pela mobilidade elétrica aumente, significativamente, até 2030, com os veículos alimentados por hidrogénio a representarem dois milhões de unidades, das quais 350.000 serão comerciais.

Enquanto única solução “emissões zero” que complementa os veículos elétricos alimentados por baterias, a tecnologia da pilha de combustível de hidrogénio é essencial para acelerar o desenvolvimento da mobilidade elétrica, e para que esta responda aos seus três maiores desafios: melhoria da qualidade do ar; redução das emissões de CO2; transição energética.

Também pode gostar de ler