Fedima mais otimista em relação ao futuro

A Fedima voltou a estar presente na expoMECÂNICA para apresentar algumas novidades e informar os visitantes sobre as novas tendências do mercado.

Para Carlos Marques, o aumento das matérias-primas tem obrigado os fabricantes asiáticos a aumentar o preço dos pneus "o que se revela benéfico para o nosso negócio, uma vez que não se vai sentir tanto a diferença de preço entre os pneus fabricados por nós e os importados da China", disse.

O responsável deu ainda conta que "esta situação apenas vai acontecer a partir do próximo verão, porque existem stocks enormes de pneus nos armazéns que ainda não foram escoados e o mercado não consegue absorver o excesso de oferta".

A matéria-prima nos pneus recauchutados representa cerca de 50%. Por isso, a Fedima também tem sido afetada pelo aumento dos custos, mas ainda não consegue repercuti-los no preço dos pneus pois, segundo afirma Carlos Marques, "tenho consciência que o mercado ainda tem muito produto barato. Mas se conseguir aumentar a produção de pneus, passando dos atuais 500/dia para 1.000/dia, vou ter maior rentabilidade, porque os custos fixos mantêm-se".

Relativamente às novidades apresentadas na expoMECÂNICA, destacaram-se os pneus de competição FKX que surgiram este ano, a nova nova gama de rali terra F5 e as gamas industrias, nomeadamente os pneus geminados 315/80 22,5 para gruas giratórias, assim como os semi-maciços, e os pneus de turismo para clássicos com faixa branca.