Continental apresenta projeto "Visão Zero Acidentes"

continentalA Continental Pneus Portugal apresentou o projeto denominado "Visão Zero acidentes", cujo principal objetivo é sensibilizar os automobilistas para comportamentos de risco ao volante.

Ao abrigo deste projeto, que conta com o apoio do IPAM, a Continental divulgou as principais conclusões de um estudo sobre o comportamento de condução dos portugueses. O estudo pretende dar algumas pistas sobre as atitudes dos condutores lusos em relação à segurança rodoviária e compreender o seu comportamento de condução.

Os dados recolhidos permitem colocar em evidência o perfil multitasking dos portugueses, a importância da atividade profissional associada aos níveis de stresse e ao impacto que estes desempenham no seu comportamento durante a condução, bem como a confirmação de uma característica cultural predominante dos portugueses: em caso de acidente "a culpa não é minha".

O estudo permitiu ainda identificar os principais comportamentos de risco durante a condução assumidos pelos portugueses, de onde se destaca:

- Receber e fazer chamadas com sistema de mãos livres (75%);

- Comer e beber (75%);

- Conduzir em excesso de velocidade em zonas residenciais (74%);

- Conduzir em excesso de velocidade em autoestrada (72%);

- Receber/Ler e enviar SMS (63%);

- Passar um sinal que acabou de ficar vermelho (60%);

- Receber e Fazer chamadas sem sistema de mãos livres (53%).

Os dados permitem ainda constatar que os portugueses têm consciência dos riscos da adoção de determinados comportamentos durante a condução, sendo que aqueles a que associam níveis mais elevados de risco são enviar emails, fazer relatórios, ler, e utilizar as redes sociais.

Do outro lado da escala, surge a utilização do telemóvel em sistema mãos livres, a condução em excesso velocidade na autoestrada e o comer e beber como os comportamentos mais frequentes a que os condutores associam menor risco.

As questões disponibilizadas no inquérito tinham como objetivo analisar e caracterizar o comportamento de condução, a atividade profissional exercida, caracterização dos tempos livres, estilo de vida saudável, bem como uma caracterização sociodemográfica.


Opinião: Pedro Teixeira, diretor-geral da Continental Pneus Portugal


"Encaramos a Visão Zero Acidentes como uma missão"

O responsável da Continental Portugal Portugal, Pedro Teixeira, destacou como principal objetivo a atingir com este estudo a necessidade de conhecer o comportamento dos condutores portugueses ao volante. "90% dos acidentes têm causa humana. Partindo desta evidência, era importante percebermos melhor o condutor português. Na posse da informação e dos dados extraídos do estudo, podemos, agora, de uma forma mais direcionada e eficaz, comunicar com os diferentes targets, sensibilizá-los para o perigo de adotar determinados comportamentos de risco", referiu o diretor-geral.

Ainda durante a apresentação, Pedro Teixeira chamou a atenção para o excelente trabalho que tem sido feito por diversas entidades e instituições nos últimos anos com vista à redução da sinistralidade rodoviária, referindo-se, ainda, ao contributo que a Continental tem dado através do desenvolvimento e produção de sistemas de segurança ativa e passiva, cuja função principal é apoiar o condutor.

"A nossa meta é uma Visão de zero mortes na estrada e 0 acidentes. Mobilidade sem acidentes. Estamos a falar de segurança, que sempre esteve presente na Continental e faz parte do seu ADN. Ao longo dos seus 140 anos de história, tem vindo a desenvolver soluções tecnológicas no âmbito da segurança ativa, que muito têm contribuído para a redução de acidentes na estrada".

A Continental está no top 3 dos maiores fabricantes da indústria automóvel e tem tido uma preocupação crescente com este tema da segurança rodoviária. É o único fornecedor da indústria automóvel que tem a capacidade de produzir e oferecer soluções tecnológicas para todos os componentes do sistema de travagem, como, por exemplo, o ABS e o TPMS - controlo da pressão dos pneus.

"Encaramos a Visão Zero Acidentes como uma missão. Queremos e podemos ser um interlocutor privilegiado na questão da segurança rodoviária. Temos o know-how e o expertise de mais de 140 anos de história ligados ao desenvolvimento de sistemas e de tecnologias que apoiam o condutor", refere.

"A juntar a tudo isto, temos todo o desenvolvimento tecnológico que introduzimos no processo de fabrico do equipamento que maior notoriedade e reconhecimento nos traz junto do público em geral – o nosso pneu Continental, líder em travagem. Este legado coloca-nos numa posição destacada para, como empresa socialmente responsável, darmos o nosso contributo para ajudar a diminuir os números da sinistralidade rodoviária", refere Pedro Teixeira.

As mortes e acidentes nas estradas portuguesas é uma preocupação transversal a toda a sociedade. Entre 1998 e 2010, o número de acidentes baixou 70%, mas não podemos ficar por aqui. Ttemos de dar o passo mais além e tem de haver com o facto de, em 90% dos acidentes, o erro humano ser o fator principal", disse.

Neste sentido, a Continental achou que deveria dar este passo e ir um pouco mais além. "Para além de tudo o que temos vindo a desenvolver a nível de soluções tecnológicas, consideramos, por aquilo que representamos dentro da indústria automóvel, que tínhamos um papel fundamental a desempenhar neste tema da segurança rodoviária. Por isso, saímos dos nossos gabinetes, dos nossos laboratórios e das nossas fábricas e fomos para o terreno, em conjunto com o IPAM, para conhecer o perfil dos condutores portugueses e qual a sua atitude perante situações de segurança rodoviária", concluiu Pedro Teixeira.

IMG 0093IMG 0098IMG 0105IMG 0107IMG 0112IMG 0121IMG 0132

Save

Save