Os números de Dunlop em Le Mans 2016

Para ganhar em Le Mans, há que manter-se na pista o máximo de tempo possível, o que significa reduzir as paragens nas boxes.

Os avanços da Dunlop na tecnologia de pneus e durabilidade ajudaram as equipas, ao não terem que mudar de pneus cada vez que param na box. Uma equipa poupa 25 segundos por cada paragem sem ter de trocar os pneus. As primeiras equipas de LMP2 alcançaram a meta com apenas 2,5 minutos de diferença, o que demonstra bem a importância de ter uns pneus com maior durabilidade como fator decisivo na hora de vencer uma corrida.

Em 2015, pela primeira vez, duas equipas Dunlop de LMP2 foram capazes de quadruplicar a duração dos seus pneus em Le Mans. A nova gama de pneus de 2016 vai mais além: pelo menos 15 equipas Dunlop puderam quadruplicar o tempo de utilização dos seus pneus. E duas delas optaram por chegar a quintuplicar a sua duração, algo sem precedentes.

Aqui ficam os números da Dunlop em Le Mans 2016:

- Sete primeiros classificados em LMP2;

- Seis fabricantes de LMP2 entre os sete primeiros;

- 0,420 segundos a menos por volta do que a volta mais rápida de LMP2 em 2015 (Merhi 3’36,259);

- 8.175 voltas completas com pneus Dunlop durante a corrida;

- 140.883 km desde os treinos livres até ao final da corrida;

- 252 milhões de revoluções dos pneus durante a semana das corridas;

- 30 trocas de liderança na classificação de LMP2, todas com pneus Dunlop;

- 231 voltas com Signatech Alpine LMP2 na liderança (64,7% da corrida);

- Sete líderes de categoria diferentes utilizaram pneus Dunlop;

- 15 equipas quadruplicaram a duração dos pneus;

- Duas equipas usaram os mesmos pneus durante cinco turnos;

- 56 voltas: o período mais longo com o mesmo conjunto de pneus Dunlop (763 km, 3 horas e 41 minutos).

Também pode gostar de ler