Tyrexpo Africa Show irá debater pneus budget e premium

À medida que se aproxima o Salão Tyrexpo Africa Show, começam a surgir as primeiras indicações acerca do que vai ser mostrado. Tudo indica que uma grande quantidade de pneus de todos os tipos seja revelada, desde os mais caros e com maior qualidade aos budget.

Como prelúdio do evento, John Stone, consultor e responsável pela feira, tem vindo a pesquisar o mercado internacional de pneus para atingir um dos pontos mais controversos da indústria pneumática. Qual é a diferença entre as marcas de renome, como Michelin, Bridgestone, Pirelli, Goodyear/Dunlop, Continental e Yokohama e as budget? São, então, os pneus mais baratos um falso mercado no que toca a qualidade, conforto e segurança?

Quão intensivos e dedicados são os retalhistas de pneus e as oficinas quando explicam a variedade de qualidade e benefícios das marcas individuais para os seus clientes?

Sem dúvida que existem muitas visões "conflituosas" sobre este assunto, mas, geralmente, há muitos factos que podem ser estabelecidos de forma instantânea. Primeiro, que as marcas premium são produzidas, exclusivamente, por fabricantes de renome, por isso vão sempre custar consideravelmente mais do que qualquer outra gama de pneus, até porque "carregam" o nome de um produto estabelecido e respeitado e têm de "oferecer" ao utilizador um elevado nível de prestações, aderência e consumo de combustível reduzido.

As respostas a estas questões dependem muito das condições de condução e os peritos desta indústria vão acabar por dizer que a velocidades elevadas e em pisos molhados a utilização de um pneu premium é, claramente, uma vantagem. Uma afirmação que é fortalecida por uma série de testes recentes realizados por uma revista automóvel líder na Europa, que confirmou que os pneus budget precisam, em média, de mais 14 metros para travar do que um pneu premium, isto a velocidades de 112 km/h. Os pneus premium são ainda menos ruidosos do que os budget.

E o que dizer das marcas de pneus budget? Como se defendem contra estas estatísticas? Bem, de facto, de forma muito positiva, uma vez que estes fabricantes reforçam a palavra budget, ou seja referem-se a preços baixos e não a qualidade. E defendem-se sempre com o facto de que pneus os budget, ou mais baratos, não querem dizer má qualidade e não escondem a ninguém o que representa um pneu com estas características.

Os pneus budget são mais adequados para quem rola, constantemente, a velocidades reduzidas e para veículos que realizam poucos quilómetros anualmente. Assim, estas marcas parecem ideais para os segundos veículos de casa, que não percorrem distâncias tão grandes.

Então a diferença é bem clara... ou não? Como o mercado internacional começa a ter cada vez mais marcas de gama média, que se posicionam entre as premium e as budget, são pneus que, muitas vezes, são propostos pelas marcas de renome, mas sob uma designação diferente e são promovidas como sendo o compromisso perfeito entre as marcas premium e as budget. Apresentam elevada longevidade e uma poupança de combustível muito interessante. Nestes casos, a etiqueta dos pneus europeia também dá uma ajuda ao consumidor na escolha do pneu.

Estabelecendo este padrão e dependendo de cada estilo de condução, há uma diferença entre as grandes marcas e as marcas budget. E o que dizer das oficinas e dos distribuidores? Será que têm uma política que os obriga a explicar as diferenças na qualidade, prestações e value for money? Esta é uma pergunta de resposta difícil, até porque tudo depende do staff e das políticas da empresa para cada ponto de venda, consoante for uma cadeia de venda líder, um sítio outlet ou um negócio de venda particular.

O mesmo responsável acredita que 40% dos negócios e dos negociantes adotam uma postura profissional e conscienciosa para ajudar os seus clientes a comprar o tipo de pneu certo para as suas necessidades de condução. Assim sendo, esta opinião deixa 60% de clientes que continuam a colocar o preço à frente da qualidade.

A indústria dos pneus está a tornar-se cada vez mais competitiva, o que significa que o lucro que advém das vendas de pneus torna-se cada vez mais importante para criar uma forma de sustentação em momentos menos bons desta indústria. Esta situação não é favorecida pelo baixo interesse e completa apatia que a maioria dos consumidores, que continua a ver a compra de pneus como um stress monetário e simplesmente não ligam às sua características de segurança e conforto.

Apenas o tempo irá dizer se a qualidade de um produto vai suplantar o seu preço, pelo menos no negócio dos pneus.