Há novo regulamento de pneus na Classe GT em Le Mans

Em 2016, a Dunlop regressou às corridas de GT no Campeonato do Mundo de Resistência da FIA (WEC), conquistando os títulos de equipas e de pilotos, cinco vitórias e nove pódios com a Aston Martin Racing.
A grande novidade para 2017 diz respeito a uma alteração completa do regulamento de pneus. Na passada temporada, não existiam restrições de pneus em termos do número de especificações na classe GTE Pro, mas, este ano, existem controlos estritos para os pneus de piso seco, com apenas três opções de slicks disponíveis para a temporada completa do WEC. O número de pneus também foi reduzido, com menos 16 do que em 2016, num total de 96 para treinos livres, qualificação e corrida. As alterações acarretam novas exigências para os pneus e diferentes critérios para os designers e engenheiros. Agora, a vida dos pneus é mais decisiva, como o é a sua performance nas diferentes pistas que figuram no calendário do WEC. Os mesmos pneus devem ser capazes de render em circuitos de menor aderência, como no México, e em pistas de clima quente, como o Circuito das Américas, com a possibilidade de se verificarem ambos os extremos em Le Mans. O clima e as temperaturas não se podem prever antes que os pneus sejam especificados e produzidos com muita antecedência relativamente à corrida, pelo que as especificações devem estar aptas para todas as condições possíveis. Há duas semanas, nas 24 Horas de Nürburgring, a corrida começou com temperaturas quentes de até 50°C em pista, que logo baixaram até somente 18°C à noite. As janelas de operação são fulcrais. Os pneus Dunlop são concebidos para proporcionar uma performance consistente em turnos de condução múltiplos: uma, duas ou três horas de corrida com o mesmo jogo de pneus, que se mantêm durante várias paragens para reabastecimento, sem sofrerem quebras significativas em termos performance ou de aderência, tanto em piso molhado como seco. A temperatura pode sofrer grandes variações: durante as três horas, desde o amanhecer até que o sol aqueça a pista, pode variar em torno dos 15°. As condições também podem variar largamente na pista de 13 km, estando a reta das boxes sob pleno sol e forte chuva na curva Mulsanne. A versatilidade ficou demonstrada nas 24 horas de Nürburgring, há pouco mais de duas semanas, onde a Dunlop obteve a sua 18.ª vitória na corrida de 24 horas em 2017, com o Audi R8 LMS GT3 da Land Motorsport e três dos cinco primeiros a escolherem Dunlop. Nas 24 horas de Le Mans deste ano, a Dunlop também fornece mais do que um fabricante: em 2016, foram quatro Aston Vantage nas duas classes, enquanto que, em 2017, aos dois Aston 'GTE Am' juntam-se o seu irmão Vantage da TF Sport e três Porsche 911 RSR. E embora os compostos continuem a ser os mesmos para os dois fabricantes, as construções são feitas à medida de cada chassis.